Wiki do André

Partilha de conhecimento

Os meus leitores MP3

Há alguns anos atrás, os walkmans e os leitores de CD portáteis permitiram que cada pessoa pudesse ouvir a sua banda favorita onde quer que estivesse. No entanto, eram aparelhos pesados, dependiam sempre de cassetes ou CD's, e não era vivável andar com toda a coleção de música atrás. Os leitores MP3 vieram revolucionar este mercado, trazendo memória embutida, para permitir transportar várias músicas num único dispositivo. Em baixo, estão os meus leitores MP3 e multimédia que adquiri ao longo dos tempos.

Zippy Shark TR MP3 Player

Imagem do Zippy Shark

  • Preço: 15/20 euros
  • Capacidade usada/Capacidade total: 0.5GB a 0.8GB/1GB
  • Informação: Produto descontinuado (s/ info no site oficial)
  • Minha Classificação: **** (4 estrelas)

Este foi o meu primeiro MP3, um dos muitos clones baseados no S1MP3, também conhecido por “leitor MP3 dos chineses”. Apesar de ser um leitor MP3 de gama baixa, com apenas 1GB de memória e uma taxa de transferência de ficheiros horrivelmente baixa, permitiu-me ter o prazer de desfrutar das minhas músicas favoritas sem ter de estar ligado ao computador. Para além da capacidade básica de ouvir a música armazenada, também tinha rádio FM (receção e retransmissão) e microfone incorporado. A bateria não me durava muito, e tinha de estar sempre a trocar de pilhas (pilhas AAA). Foi um leitor MP3 básico que me permitiu a entrada na música digital.

Uma avaria no botão “Play” foi motivo para a compra de outro, embora ainda funcione razoavelmente bem, e dê para por umas músicas no rádio do carro.

Memup K-SLIM LS

Imagem do Memup K-SLIM LS

Tinham começado a surgir leitores MP4, cuja evolução era a capacidade de ver vídeos. Resolvi procurar um leitor destes: acabei por escolher o K-SLIM LS da Memup. A primeira coisa que senti falta em relação ao leitor Zippy foi a capacidade de ouvir rádio. Foi realmente triste, porque era algo que realmente comecei a apreciar desde a altura em que descobri essa funcionalidade no Zippy. A tão falada visualização de vídeo era dececionante: o software incluído para a conversão era de fraca qualidade, e a velocidade de reprodução dos vídeos não devia ultrapassar as 20 FPS. A qualidade do ecrã também não ajudava. Por consequência, a funcionalidade de fotografias também deixava a desejar.

Mas também tinha coisas positivas: era mais fácil pesquisar por diferentes artistas (antigamente guardava todas as músicas numa pasta com o nome do artista) e era um dispositivo extremamente leve. Também podia guardar algumas notas em formato TXT, numa funcionalidade chamada “E-books”, cuja ideia era levar “livros” em formato de texto plano para ler no dispositivo. Trazia o jogo tretis, que me valeu algumas horas de entretenimento durante viagens. Também tinha disponível uma entrada MicroSD, que cheguei a experimentar, mas não usava com frequência. A bateria do dispositivo foi um dos aspetos que mais me impressionou: com uma utilização moderada (cerca de 1 hora por dia), a bateria durava-me cerca de duas semanas.

Acabou por se estragar a entrada dos headphones, deixando de dar som no lado esquerdo.

iPod Touch 4ª geração

Imagem do iPod Touch 4ª Geração

  • Preço: 199 euros
  • Capacidade usada/Capacidade total: 2.3GB/8GB (apenas músicas)
  • Informação: http://www.apple.com/pt/ipodtouch/
  • Minha classificação: ***** (5 estrelas)

Este dispositivo da Apple quase que dispensa apresentações. A principal motivação para a compra deste leitor multimédia foi a vontade de querer experimentar um dispositivo Apple. Para além das músicas e vídeos com excelente qualidade, é possível navegar na Internet, instalar aplicações, etc. Para além de ser um dispositivo de entretenimento, tornou-se também uma ferramenta de produtividade, na qual vejo o e-mail ou tomo notas, consulto o calendário e vejo as tarefas que tenho pendentes. Apesar de caro, até agora tem-se mostrado um dispositivo muito útil.

É possível fazer listas de músicas, uma funcionalidade que muito desejei ter nos outros leitores MP3, percorrer os álbuns em vista de capas, procurar rapidamente por um artista, músicas ou álbuns. Tudo isto através de um ecrã touchscreen. A bateria começou a durar mais desde uma atualização da Apple, passando de uma média de 3 dias para 5 dias. O único inconveniente que tenho com o iPod é o facto de ser quase obrigado a usar o iTunes. Embora goste da aplicação e a ache útil, tive alguns problemas a mover as bibliotecas de música que tinha no computador. Por outro lado, não é tão fácil como arrastar um música para o dispositivo. Outras restrições impostas pela Apple também tornam a experiência limitativa por vezes, mas normalmente é algo que se resolve de uma forma ou de outra. Não cheguei a fazer Jailbreak ao dispositivo.