Wiki do André

Partilha de conhecimento

Linux Mint

Com a chegada do Windows 10 e das suas políticas controversas, decidi dar de vez o salto para o Linux. Entre as distribuições mais atuais, encontrei o Linux Mint, que conta com excelente suporte e comunidade. Atualmente é esta a distribuição que uso no meu computador pessoal.

Mais informações desta distro no site oficial: linuxmint.com

Tempo de boot excessivo após remover SWAP

Como tenho um computador com 16 GB de memória e raramente uso mais de 8 GB, resolvi eliminar a partição SWAP de 16 GB que defini ao instalar. O problema foi que após esta operação o tempo de arranque do computador passou de cerca de 20 segundos para 1 minuto. Após alguma pesquisa, verifiquei que apesar de ter apagado a partição e ter editado o ficheiro /etc/fstab, o UUID da antiga partição de swap ainda estava referenciado no ficheiro /etc/initramfs-tools/conf.d/.

Atenção que a partição de swap é precisa para algumas funções (como grande consumo de RAM ou a função de hibernação). A sequência de passos para remover a partição de swap e evitar este problema é a seguinte:

  1. Desativar o swap com o comando sudo swapoff -a
  2. Como root, editar o ficheiro /etc/fstab e comentar/apagar a linha referente ao swap (tomem nota do UUID da partição de swap)
  3. Desmontar e eliminar a partição (com a ferramenta gráfica Discos, por exemplo). Também é possível redimensionar a partição de dados para ficar com este novo espaço livre
  4. Ir ao ficheiro /etc/initramfs-tools/conf.d/resume e comparem o conteúdo da linha RESUME= com o UUID da partição de swap: caso seja igual, movam ou apaguem este ficheiro, e corram o comando sudo update-initramfs -u
  5. Reiniciem o computador e confirmem que o tempo de arranque está como antes de removerem a partição de swap.

Referências:

Adicionar a pesquisa Google ao Firefox

O Firefox incluído no Linux Mint vem sem a pesquisa do Google, por omissão. É possível adicioná-la manualmente visitando a página de motores de busca. O problema é que a configuração fornecida pelo Linux Mint vem sem o autocomplete (também conhecido como sugestões de pesquisa, aquelas que aparecem quando começamos a escrever os termos de busca). Para resolver este problema, criei uma configuração de OpenSearch melhorada:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<OpenSearchDescription xmlns="http://a9.com/-/spec/opensearch/1.1/">
  <ShortName>Google</ShortName>
  <Description>Google</Description>
  <Tags>google</Tags>
  <Image height="16" width="16" type="image/vnd.microsoft.icon">https://www.google.com/favicon.ico</Image>
  <Url type="text/html" template="https://www.google.com/search?q={searchTerms}" />
  <Url type="application/x-suggestions+json" template="https://suggestqueries.google.com/complete/search?client=firefox&amp;q={searchTerms}"/>
</OpenSearchDescription>

Em suma, mudei os links de http para https e adicionei a linha de autocomplete (último nó Url). Para instalar:

  1. Copiar o conteúdo para um ficheiro XML numa pasta de fácil acesso.
  2. No Firefox, abrir o editor de definições about:config, e procurar por devtools.chrome.enabled. Colocar o valor a true ou verdadeiro
  3. Abrir a Consola do Navegador (não confundir com a Consola web). Podem acedê-la em Menu > Programador > Consola do navegador.
  4. Correr o seguinte comando, alterando o caminho para o ficheiro criado: Services.search.addEngine("file:///home/andre/Desktop/google.xml", null, null, false);
  5. Não precisam de reiniciar, basta escolher o Google como motor de pesquisa por omissão e assinalem a opção Mostrar sugestões de pesquisa nos resultados da barra de localização. Comecem a escrever na barra de endereços e devem ver as sugestões do Google a funcionar

É possível que um dia o autocomplete deixe de funcionar (vejam as fontes), mas enquanto durar é dar-lhe uso

Fontes: Bug #1236498 e Stackoverflow - Google Search autocomplete API